mai 20 2011

Grafismo Indígena

Animação desenvolvida como projeto de conclusão do curso de Desenho Industrial/ Comunicação Visual, pela PUC-Rio.
A animação trata da interpretação dos padrões da pintura corporal Asurini, registrados e descritos pela antropóloga Regina Pollo Miller, em sua relação formal com os objetos representados.
O vídeo apresenta os motivos geométricos “Onça” e “Jabuti” e busca relacionar as formas dos grafismos àquelas dos animais representados.
Para o trabalho foram levantados os grafismos registrados no livro “Grafismo Indígena”, somada às observações dos animais realizadas nos setores de Mastologia e Herpetologia do Museu Nacional (UFRJ).

PDF do relatório: www.ricardoartur.com.br/GrafismoIndigena.pdf

Concepção e realização: Ricardo Artur Pereira de Carvalho

Orientador: Luiz Antonio Coelho
Professora Tutora: Rita Maria de Souza Couto
Co-orientador: José Francisco Sarmento
Co-orientador: Roberto Verschleisser

Música : Shindo (Cid e Carlos Manga)
Interpretação: Pé do Lixo

Apoio:
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Museu Nacional (UFRJ)

Referência:
VIDAL, Lux, (organizadora). Grafismo Indígena: estudos de antropologia estética 2a ed., São Paulo: Studio Nobel: FAPESP, 2000

Endereços:
PUC-RIO
Rua Marquês de São Vicente, 225, Gávea – Rio de Janeiro, RJ – Brasil – 22453-900
Cx. Postal: 38097 – Telefone: (55 21) 3527-1001

Museu Nacional/UFRJ
Quinta da Boa Vista, São Cristóvão, Rio de Janeiro, RJ
CEP 20940-040 Telefones: (21) 2568-8262, (21) 2254-4320 Fax: (021) 2568-1352

 


mar 1 2011

Era uma vez…

Olá pessoal, esta é a minha primeira postagem. Já possuía planos para criar um blog e um site para organizar minha produção pessoal e profissional, mas sempre adiava. Agora resolvi sair finalmente da inercia e começar este site/blog em que deverei apresentar uma diversidade de coisas relacionadas as diferentes esferas da minha vida.

Deverei me ocupar um pouco das aulas que estou ministrando este semestre, portanto isso deverá ocupar boa parte das postagens iniciais, mas pretendo não deixar a peteca cair e tentar deixar o site mais dinâmico com o passar do tempo.

Vá lá que já tenho Twitter e Facebook e outro blog para estabelecer um canal de comunicação, mas, de qualquer forma estava faltando desenvolver algo para poder chamar de meu. Sabem como é, como webdesigner, vivia em casa de ferreiro com espeto de pau. A partir de agora, vou começar a dar um jeito nisso.