A regra dos terços

Por , 3 de outubro de 2011 18:45

Quando falamos em composição, nos referimos à maneira como os elementos estão dispostos dentro de um enquadramento. Isso pode se referir a muitas coisas: fotografia, cinema, pintura, desenho, etc.

Se a noção de enquadramento é amplamente empregada nas artes visuais, no design gráfico não é menos importante. Quando fazemos uma peça gráfica – pôster, livro, revista, papel de carta, cartão de visitas, entre outros – estamos trabalhando com um suporte delimitado, normalmente em papel que terá suas dimensões definidas. Dentro deste suporte, organizaremos a informação (texto, imagem, texturas, cores, etc.).

Uma das estratégias para a composição é a grid, que abordaremos mais tarde. Outra noção, muito comum na fotografia e no cinema, é a regra dos terços.

Divisão de 3x3 e pontos de tensão.

A regra dos terços tem por princípio uma grid (grade, malha) mas com a peculiaridade que além de ter sua proporção definida, também pressupõe certas regras e enquadramentos. A regra consiste em subdividir a área útil em três seções iguais, tanto na horizontal como na vertical, formando assim 9 seções (3×3). Cada ponto de interseção é considerado um ponto focal, e deve ser considerado no momento de enquadrar os elementos.

Imagem enquadrada segundo a regra dos terços

Além de ser aplicada na hora de enquadrar uma foto ou filme (algumas câmeras vêm inclusive com uma opção no visor), a regra pode ser aplicada para reenquadrar imagens. Nesse sentido, busca-se dar maior destaque aos pontos de interesse, enquadrando-os segundo os pontos fortes (as interseções).

Imagem reenquadrada segundo a regra dos terços

Cabe ressaltar que além da composição de imagens, a regra dos terços também se presta à composição de diferentes informações em uma página. Na dúvida sobre onde posicionar texto e imagens, a subdivisão em nove seções pode se tornar instrumental.

Regra dos terços aplicada na diagramação

 

Vantagens da regra dos terços:

Conforme comentado na aula anterior, o enquadramento mais básico e óbvio é o centralizado (na vertical e na horizontal). Entretanto, o enquadramento central é muito estático pois não cria movimento e nem tensão ao posicionar um objeto equidistante das margens.

Nesse sentido, a regra dos terços é uma maneira simples e prática de evitar a centralização. O uso de 1/3 ou 2/3 da imagem desloca o objeto de seu centro e gera, quase sempre,  um “arejamento” na composição, ou seja, trabalha compondo a forma e a contra-forma (ou o espaço negativo).

É importante destacar que embora se chame regra, não se trata de um enquadramento obrigatório. Pelo contrário, é possível conseguir enquadramentos interessantes a partir de outros parâmetros e mesmo o centralizado pode ter o seu lugar. Contudo, a regra dos terços é um recurso bastante empregado, de fácil utilização e que proporciona resultados bastante interessantes.

Para saber mais:

Tecmundo: fotografia http://www.tecmundo.com.br/fotografia-e-design/8997-fotografia-a-regra-dos-tercos.htm

Pixiq, voice your vision: http://www.pixiq.com/article/the-rule-of-thirds

Digital Photography School: http://www.digital-photography-school.com/rule-of-thirds

Vimeo: Rule of thirds http://vimeo.com/14315821

Comentários estão bloqueados

Panorama Theme by Themocracy