avatar

Sobre Ricardo Artur

Meu nome é duplo, Ricardo por escolha dos pais e Artur em homenagem ao meu avô. Nomes de reis ingleses, diziam meus pais, mas não sou da nobreza ou aristocracia. Tanto que Pereira e Carvalho são nomes de cristãos novos, provavelmente judeus ou muçulmanos convertidos para escapar da inquisição. Sou nascido no Rio de Janeiro - RJ e criado em São José dos Campos - SP em família carioca por parte de mãe e mineira por parte de pai, ambas de ascendência portuguesa. Nenhum de meus avós cursou uma universidade, eram todos humildes e trabalharam muito para conquistar algum patrimônio, incentivando os filhos para que cursassem o ensino superior. Em São José, além da escola, desenvolvi interesse por desenho e música. Sempre gostei de desenhar, mas só realizei um curso, de quadrinhos quando adolescente. A música, desenvolvi cursando o extinto Conservatório Musical Santa Cecília durante oito anos, com o curso de piano inconcluso (pré+ 7 de um total de 9 anos). Já o violão aprendi sozinho, a partir de dicas e conselhos de outras pessoas. Também cantei em coral durante muito tempo, primeiro no conservatório, depois no coral da universidade. Mudei para o Rio aos 18, para cursar a universidade, que fnanciei por meio da participação no coral e no trabalho dentro da instituição. Já na faculdade me relacionei com a pesquisa, pois trabalhava em um dos laboratórios, o NAE. Ao decorrer do curso, meu interesse pela pesquisa aumentou e me formei com um projeto de caráter teórico, enquanto o curso era bastante prático. Sou graduado e mestre em Design pela PUC-Rio e atualmente cursando o doutorado na mesma instituição, onde atualmente sou bolsista do CNPq.

Urgência

Reproduzo aqui o texto da escritora Eliane Brum em que reflete sobre os sentidos de urgência na sociedade contemporânea.

Publicado originalmente na Revista Época, 29/04/2013 (link para o texto original)

É urgente recuperar o sentido de urgência

Nós, que podemos ser acessados por celular ou internet 24 horas, sete dias por semana, estamos vivendo no tempo de quem?

ELIANE BRUM – Uma Duas (LeYa) – e de três livros de reportagem: Coluna Prestes – O avesso da lenda(Artes e Ofícios), A vida que ninguém vê (Arquipélago, Prêmio Jabuti 2007) e O olho da rua – uma repórter em busca da literatura da vida real (Globo).

Dias atrás, Gabriel Prehn Britto, do blog Gabriel quer viajar, tuitou a seguinte frase: “Precisamos redefinir, com urgência, o significado de URGENTE”. (Caixa alta, na internet, é grito.) “Parece que as pessoas perderam a noção do sentido da palavra”, comentou, quando perguntei por que tinha postado esse protesto/desabafo no Twitter. “Urgente não é mais urgente. Não tem mais significado nenhum.” Ele se referia tanto ao urgente usado para anunciar notícias nada urgentes nos sites e nas redes sociais, quanto ao urgente que invade nosso cotidiano, na forma de demanda tanto da vida pessoal quanto da profissional. Depois disso, Gabriel passou a postar uns “tuítes” provocativos, do tipo: “Urgente! Acordei” ou “Urgente: hoje é sexta-feira”.

A provocação é muito precisa. Se há algo que se perdeu nessa época em que a tecnologia tornou possível a todos alcançarem todos, a qualquer tempo, é o conceito de urgência. Vivemos ao mesmo tempo o privilégio e a maldição de experimentarmos uma transformação radical e muito, muito rápida em nosso ser/estar no mundo, com grande impacto na nossa relação com todos os outros. Como tudo o que é novo, é previsível que nos atrapalhemos. E nos lambuzemos um pouco, ou até bastante. Nessa nova configuração, parece necessário resgatarmos alguns conceitos, para que o nosso tempo não seja devorado por banalidades como se fosse matéria ordinária. E talvez o mais urgente desses conceitos seja mesmo o da urgência.

Continuar lendo

Impressionismo, Arts & Crafts e Art Nouveau

Abaixo apresento alguns links de instituições e artistas interessantes que auxiliem a compreender melhor os movimentos.

Museus:

Metropolitan Museum of Art: Heilbrunn Timeline of Art History
Victoria & Albert Museum

Impressionismo

Eliseu Visconti (e a reforma do Theatro Municipal)
Impressionism: Art & Modernism (artigo/ Met Museum) 

Arts & Crafts

William Morris (verbete/artigos)
Arts & Crafts (artigo)
Irmandade dos Pré-Rafaelitas (verbete/artigos)
European Revivalism (Gothic Revival)
Pre-Raphaelites (Irmandade dos Pré-Rafaelitas)
Design Reform (Crítica e reforma do Design no Reino Unido)
Morris & Company (Empresa de William Morris)

Art Nouveau

Mucha Foundation (Alphonse Mucha)
Horta Museum (Victor Horta)
Charles Rennie Mackintosh Society (Charles Mackintosh)
Museu Klimt (Gustav Klimt)

 

 

Texto: O ritual do corpo entre os Sonacirema

Segue o llink para o texto: O Ritual do Corpo entre os Sonacirema.

Questões para a reflexão
(ALERTA DE SPOILER: ler o texto antes de ler as perguntas)

  1. O autor do texto utiliza o termo atividades rituais. Qual a conotação empregada por ele?
  2. Qual o “feitiço” ao qual o autor se refere? Por que utiliza tal metáfora?
  3. O que são :
    1. Santuário
    2. Arca embutida na parede
    3. Homem-da-boca-sagrada
    4. Latipsoh
  4. Como você apreendeu o fato da sociedade ocidental ser descrita desta forma?
  5. Comente a afirmação: Povo obcecado pela magia. 
  6. Em que parte do texto fica evidente uma hierarquização das sociedades?
  7. Você concorda com a afirmação de que o autor do texto ironiza a racionalidade típica da sociedade ocidental contemporânea?

Citações e referências segundo normas da ABNT

Conforme prometido, segue aqui um pequeno documento que sintetiza algumas normas para citações e referências em trabalhos acadêmicos.

Referências e citações – ABNT

Para consultar as normas completas e verificar outros casos de citações convém pesquisar pelas normas citadas (NBR-6023 e NBR-10520).

Sobre plágio e problemas de citação, vejam o pequeno artigo nesse blog. Acaba funcionando também como um exemplo de formatação e apresentação das referências segundo as normas.

Outro link que pode ser interessante apresenta as normas para apresentações de tese: http://www.puc-rio.br/ensinopesq/ccpg/normas/

G2: Enunciado

Destacado

Escrever um artigo de iniciação científica [ de 5000 a 10000 caracteres ver modelo do P&D 2012] que apresente uma análise de um fenômeno contemporâneo segundo a identificação de noções relativas à Pós-Modernidade. Utilizar minimamente como fundamentação teórica os textos de A Identidade Cultural na Pós Modernidade (Hall), Condição Pós-Moderna (Harvey), Modernidade Líquida (Bauman) e Cenas da Vida Pós Moderna (Sarlo).

Estrutura:

§  Introdução: apresentação do trabalho, motivos da escolha e relevância, propostas.

§  Desenvolvimento:

§  Exposição da referências e  critérios de análise: o que será observado, quais os conceitos e o referencial empregado. Discussão das ideias principais.

§  Apresentação do objeto: contexto de uso, características, apelos e valores.

§  Análise crítica: identificação dos conceitos contemporâneos, explicação e discussão sobre a relação entre objeto e os valores contemporâneos.

§  Conclusão: Síntese dos principais aspectos,  argumentação e ponto de vista, possíveis desdobramentos.

Referências Bibliográficas

As referências no trabalho devem ser evidenciadas e devidamente atribuídas de modo a não configurar plágio.  Pressupõe-se que o trabalho seja de cunho autoral, portanto qualquer apropriação indevida será penalizada segundo critério do professor, inclusive sob o risco de anulação do trabalho entregue.

A bibliografia mencionada é obrigatória e deve constar ao longo do trabalho como base para a reflexão:

BAUMAN, Z. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001

SARLO, Beatriz. Cenas da vida pós-moderna: intelectuais, arte e videocultura na Argentina. Rio de Janeiro: UFRJ Editora, 1997.

HARVEY, David. Condição Pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Edições Loyola, 2004.

HALL, Stuart. A Identidade Cultural na Pós-Modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

Grupo: preferencialmente duplas ou trios

Data da apresentação oral:

  • 23 de junho

Data da entrega:

  • 25 de junho (por e-mail)

Exemplos de artigo:

§  Clique no link para baixar um artigo exemplo que trata da temática: Artigo exemplo com formatação

Questões para estudo dirigido: Modernidade e Modernismo

Questões para o estudo dirigido do livro Condição Pós-Moderna, de David Harvey. Capítulo 2: Modernidade e Modernismo (p. 21-44).

  1. Quais as características considerados por Harvey a partir de outros autores que marcam a modernidade?
  2. Segundo Habermas, em que consiste o projeto da modernidade?
  3. Qual os argumento de Max Weber contra o projeto iluminista?
  4. As mudanças da modernidade e a sensação de fragmentação e efemeridade demandavam uma postura do artista moderno. Na visão de Baudelaire, o que deveria fazer o artista moderno bem-sucedido?
  5. Que aspectos forcaram os produtores culturais a seguir uma forma de competição de mercado que reforçariam  processos de “destruição criativa” no campo estético?
  6. Porque o autor afirma que o “modernismo era uma arte das cidades”?
  7. O pensamento iluminista tendia ao universalismo, julgava ser possível chegar a leis universais mediante o uso da razão. O que ocorre com a fixidez categórica do pensamento iluminista a partir de 1848?
  8. O período do modernismo chamado “heroico” tem uma de suas alas recorrendo à necessidade de estabelecer um mito “eterno”. Que elemento foi utilizado para isto?
  9. A que fatores o autor atribui a absorção do modernismo pelo establishment político apósa primeira guerra mundial?