Desconstruir Duchamp

Para quem se interessou pelo assunto abordado na última aula aconselho a procurarem os textos (curtos – diga-se de passagem) do livro Desconstruir Duchamp, de Affonso Romano de Sant’anna (ed. Vieira & Lent).

  • Suicídio da arte
  • Pedagogia do olhar
  • Artisticamente incorreto
  • O xeque-mate de Duchamp

Os textos discutidos encontram-se na pasta 57 da xerox da APG (Vila dos Diretórios).

Sobre texto acadêmicos, plágio e referências

Introdução

Escrever um texto acadêmico – ou seja, um artigo científico, tese de doutorado, dissertação de mestrado, monografia, trabalho de final de curso ou mesmo um trabalho de disciplina de faculdade – é uma tarefa que implica determinadas posturas do autor. Dentre as várias responsabilidades, seja quanto à qualidade da pesquisa, ao estilo da escrita ou ao uso do léxico (os termos e palavras empregadas), uma delas diz respeito à conduta do autor perante suas fontes. Com tanta facilidade de acesso à diferentes informações torna-se cada vez mais fácil perder de vista a origem das informações e uma das consequências pode ser a cópia, o plágio, ainda que de maneira não intencional.

Mas afinal, o que é que se espera de um trabalho acadêmico e o que se deve fazer para evitar o plágio? Essa é uma pergunta que pretendo discutir a seguir, na qualidade de professor universitário e doutor em design, nesse post que será um pouco mais longo que os demais. Um dos motivos para esta postagem longa é justamente tentar apresentar o texto seguindo alguns dos preceitos que caracterizam o texto acadêmico. Continuar lendo

Vanguardas em cartum

Abaixo uma coletânea de desenhos do ilustrador e cartunista italiano Marco Marilungo retratando a mesma cena inspirado em diferentes movimentos de vanguarda do século XX. (clique na imagem para ampliar)

Além da realização formal, vale notar também os títulos dados às obras pois sugerem muito bem algumas características dos movimentos.

Filmes expressionistas

Os filmes expressionistas se destacaram, tanto por uma abordagem inovadora, como por seu legado deixado ao cinema americano, para onde muitos cineastas fugiram durante o nazismo.

Entre os filmes, destacam-se:

  • O gabinete do Dr. Caligari, de Robert Wiene (1920)
  • Nosferatu, de F. W. Murnau (1922)
  • Metropolis, de Fritz Lang (1927)
  • M: o vampiro de Dusseldorf, de Fritz Lang (1931)

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=ALqnSUMHPrA

http://www.youtube.com/watch?v=8yKKog3xTQ8&feature=plcp&context=C44282ddVDvjVQa1PpcFMXqDxgMjzpIzG3srtB9_OQ2ScPeNgYrvI%3D

Fauvismo e Expressionismo

Fauvismo

O fauvismo é um movimento francês, surgido na França no início do século XX e compreende os artistas que se posicionaram contra o impressionismo.

Liderados por Henri Matisse, o grupo contestava a representação tomando com o referência os trabalhos de Cézzane, Van Gogh e Gauguin e tomava como referência a arte primitiva, propondo novas formas e tratamentos das cores.

Características

Os sujeitos, paisagens, nús e retratos se mantém figurativos mas utilizam uma representação simplificada. O quadro afirma a planaridade do suporte e não a profundidade dos volumes.

A linha ondula e modifica as formas.

A natureza, filtrada pela pulsão subjetiva dos artistas, são exprimidas por faixas de cores puras mediante luminosidades intensas e violentas. O uso do branco reforça a intensidade
das cores.

A fúria dos gestos traduz as emoções Continuar lendo