Questões para estudo dirigido: Bauhaus

Olá galera, meio em cima da hora, mas seguem algumas questões para orientar o estudo sobre a Bauhaus. [Não é para entrega, apenas para guiar o estudo]

Livro:  CARDOSO, Rafael. Uma Introdução à História do Design. São Paulo: Edgar Blücher, 2a ed. Rev. Amp. 2004.

Capítulo 5 – Design e teoria na primeira era modernista, 1900-1945 (p. 120-157) (Especificamente: O vanguardismo europeu e a Bauhaus – p.126-135).

  1. A Bauhaus é bastante influenciada pelo movimento Arts and Crafts e pela ideia da obra de arte total (Gesamtkunstwerk). De que maneira esses ideais  influenciaram nas contribuições pedagógicas da escola e na visão sobre o design?
  2. A escola tinha como objetivo último a construção (Bau), mas para alcançá-lo era preciso passar pelo ensino em diferentes oficinas. Como era possível unificar uma gama variada de assuntos tratados pela escola e os respectivos fundamentos teóricos?
  3. De acordo com o autor, qual seria o maior significado da Bauhaus para aqueles que participaram da escola?
  4. Uma das contradições da Bauhaus diz respeito à relação entre design e artesanato. De que maneira se pode falar em contradição?
  5. Contrariando a vontade de seus idealizadores a Bauhaus acabou deixando um outro legado, não ideológico, mas formal. Que legado foi esse?

Aula 7 – Bauhaus (Weimar)

A sétima aula trata da formação de uma nova escola na recém formada República de Weimar (Alemanha) em 1919. Inspirada nos ideais de William Morris e da Deutscher Werkbund, o arquiteto Walter Gropius estabelece um programa de ensino que busca conciliar a arte e o artesanato. A escola contava com um corpo docente composto por artistas importantes e influentes, como Kandinsky e Klee, com alunos de diferentes nacionalidades, além de possuir um programa inovador que conciliava teoria e prática mediante o uso das oficinas. A primeira parte foca no tempo em que a Bauhaus permaneceu na antiga capital da república, a cidade de Weimar.

A referência bibliográfica consiste no capítulo 5 (O vanguardismo europeu e a Bauhaus p.126-135) do livro Uma introdução à história do design (Cardoso, R.).

A referência complementar é o livro de Magdalena Droste “Bauhaus” (Ed. Taschen, 2006).

Aula07 – Bauhaus

Links complementares:

Aula 8 – Bauhaus (Dessau e Berlim)

A oitava aula trata dos conflitos e mudanças promovidas na Bauhaus após a saída da cidade de Weimar. Acolhendo a proposta da cidade de Dessau, Walter Gropius e o grupo de mestres e alunos concordam em se mudar para a cidade e construir lá um edifício que concretizasse os ideais da escola tanto na arquitetura como no seu interior.  Embora passasse por uma fase bastante frutífera, criando inclusive uma empresa para comercializar os produtos desenvolvidos, os conflitos políticos e ideológicos se intensificam. Com o apontamento do arquiteto Hannes Meyer como diretor e o conflito causado por sua orientação marxista levaram a Bauhaus a ser vista como uma escola comunista que viria a ser rejeitada pelos políticos de direita e pelo partido nazista. Mesmo sob a direção do arquiteto Ludwig Mies van der Rohe, a Bauhaus não conseguiu reconstruir sua imagem e passou a ser perseguida até que foi obrigada a fechar as portas em 1933, na cidade de Berlim.

Aula08 -Bauhaus Parte 2

A referência bibliográfica consiste no capítulo 5 (O vanguardismo europeu e a Bauhaus p.126-135) do livro Uma introdução à história do design (Cardoso, R.).

A referência complementar é o livro de Magdalena Droste “Bauhaus” (Ed. Taschen, 2006).

Links complementares:

Oskar Schlemmer e o Ballet Triádico

O Ballet Triádico (Triadisches Ballet) foi uma das mais famosas obras do artista e professor da Bauhaus Oskar Schlemmer (1888-1943) (ver página do MoMA https://www.moma.org/artists/5219?locale=pt).

A obra performática propõe que um figurino que restringe os movimentos dos bailarinos, forçando-os a uma atuação e movimentos muito pouco convencionais. Estreado em 1922, o Ballet Triádico foi bem diferente dos espetáculos de danças comuns até então.

Abaixo, um vídeo que registra, postumamente, a performance.

Mulheres da Bauhaus

O site ‘Artsy’ publicou uma postagem apresentando 10 mulheres da Bauhaus. A postagem destaca o papel de algumas mulheres na consolidação do design moderno tanto no período da Bauhaus, como após o fechamento da escola.

A Bauhaus foi uma escola alemã que ficou conhecida por mudar a maneira como se pensava e praticava o design no começo do século XX. Diversos designers e arquitetos modernistas passaram pela escola que, já apresentava uma postura mais progressista que outras escolas ao admitir mulheres entre seus alunos.

Todavia, o artigo também aponta que a Bauhaus era tendenciosa no que se tratava do gênero dos alunos. Enquanto homens podiam transitar entre diferentes áreas, as mulheres eram encorajadas a seguir carreira na oficina de tecelagem. O texto também argumenta que essa postura era ratificada pelo diretor da escola, Walter Gropius, que acreditava que homens conseguiam pensar em três dimensões, enquanto as mulheres apenas em duas.

A despeito do privilégio masculino, algumas mulheres se destacaram tanto nas oficinas de tecelagem quanto em áreas predominantemente ocupada por homens como arquitetura, fotografia, desenho industrial entre outros – tornando-se referência para gerações futuras.

Mulheres na Bahuaus da esquerda para a direita: Anni Albers, Gertrude Arndt, Gunta Stölzl

Mulheres na Bahuaus da esquerda para a direita: Anni Albers, Gertrud Arndt, Gunta Stölzl

A seguir, apresento um breve resumo de quatro das 10 mulheres listadas na postagem e suas áreas de especialidade. Para ver a lista completa, aconselho o artigo original. Continuar lendo