Arquivos da categoria: Ferramentas

Photshop: Barra de ferramentas

Abaixo listamos alguns dos fundamentos vistos no Photoshop:

  • Abrir arquivos
  • Criar arquivos (controle de tamanho da imagem)
  • Ferramentas
    • Mover: desloca a imagem na camada ou seleção
    • Seleção (retangular e oval):  seleciona parte dos pixels da imagem
    • Varinha mágica: seleciona uma área de cor semelhante
    • Pincel/ Lápis: pinta parte da imagem a partir do gesto do mouse
    • Borracha: apaga parte da imagem (revelando a cor de fundo ou transparência de acordo com a camada)
    • Crop (cortar imagem): redimensiona (revelando a cor de fundo) a área útil da imagem
    • Balde (preenchimento): preenche com uma cor uniforme uma determinada área (de cor uniforme ou selecionada).
    • Degradê (preenchimento): preenche com múltiplas cores uma área (por padrão, diferente do balde, se sobrepõe a imagem).

FerramentasPS

Aula 02 – Selecionando e manipulando pixels

Na segunda aula trabalhamos com noções de imagem bitmap, com ênfase nas ferramentas de seleção.

  • Importação de imagens (Place…/ Ctrl+C e Ctrl+V)
  • Camadas
  • Outras ferramentas de seleção
    • Seleção retangular
    • Seleção elíptica
    • Laço
    • Laço poligonal
    • Laço magnético
  • Máscaras
  • Seleção com a Pen Tool
  • Pen Tool e Paths (curva de beziers)
  • Preenchimento, contorno e seleção de path
Como exercícios experimentamos duas coisas

Continue reading

GIMP: preenchimento, contorno e seleção com bezier

A seguir apresentamos o uso da ferramenta caneta (bézier) no GIMP que permite traçar um trajeto vetorial e criar uma seleção a partir do desenho. A postagem é uma atualização do procedimento feito com Photoshop. Para ver a postagem original e ver o procedimento no Photoshop clique aqui. Quem quiser treinar mais a ferramenta, pode  também conferir a postagem sobre o jogo do Bézier.

Como exemplo, trabalharemos sobre essa imagem de uma chaleira desenhada pelo designer Christopher Dresser (1834-1904).

Dresser
Chaleira desenhada pelo designer Christopher Dresser

Para trabalhar o preenchimento, contorno e seleção com bézier é preciso primeiramente fazer o traçado da forma com a Caneta (Bézier). A ferramenta funciona com o princípio da curva de bézier, na qual cada ponto pode adquirir dois controladores para ajustes das curvas.

Bezier2
Continue reading

Photoshop: preenchimento, contorno e seleção de bezier

Dresser

Para trabalhar o preenchimento, contorno e seleção de path é preciso primeiramente fazer o traçado da forma com a Pen Tool (caneta). A ferramenta funciona com o princípio da curva de bezier, na qual cada ponto pode adquirir dois controladores para ajustes das curvas.

Bezier2

Atenção: certifique-se que ao selecionar a ferramenta de caneta a opção “Path” esteja ativa para que o desenho seja aplicado diretamente nas abas “Path”. Se estiver em “Shape” vai acabar criando uma nova camada com a forma aplicada.
Continue reading

GIMP: recorte a partir da própria imagem

A técnica a seguir usa as informações contidas nos canais RGB para usar como máscara de camada e, assim, limpar o fundo da imagem. Com isso é possível usar a própria foto como base para fazer o recorte, garantindo maior precisão nos detalhes como cabelos, barba e outras pequenas formas.

A técnica consta em 5 etapas:

  1. Preparar o arquivo e as camadas
  2. Duplicar o canal RGB e incluir entre as camadas
  3. Ajustar os níveis da imagem
  4. Tratar a imagem para produzir uma silhueta
  5. Aplicar a imagem como máscara de camada

A seguir cada uma das etapas detalhadas. Continue reading

Controle de níveis

Um dos principais ajustes da imagem é o controle de níveis. Praticamente qualquer fotografia ou desenho que um profissional de tratamento lide provavelmente receberá um ajuste desse controle.

Fotografias bem iluminadas e coloridas podem ser mais difícil de perceber a necessidade de aplicação desses ajustes, mas no caso de fotos em tons de cinza ou, em especial, fotos coloridas convertidas para grayscale  ou desenhos à grafite escaneados necessitarão ter seus níveis ajustados.

O ajuste de níveis (ou “Levels” em inglês) controla o equilíbrio da luminosidade da imagem por meio dos níveis de intensidade para o preto, cinza-médio e branco. Ao ajustar esses níveis a imagem poderá ter alguns tons realçados, pronunciando ou suavizando determinadas faixas tonais.

Abaixo vemos a fotografia original

Fotografia original
Fotografia original

Continue reading

Transformações da imagem

Uma série de recursos de transformação podem ser aplicados sobre a imagem de maneira a simular volume e perspectiva. Alguns desses recursos são:

  • Perspective
  • Warp
  • Puppet Warp

Os exemplos são baseados na transformação da imagem abaixo. Dresser

Perspective

É a transformação que simula o efeito de perspectiva (Edit > Transform > Perspective) , deformando o plano a partir das coordenadas. Perspective Continue reading

Formatos de imagem

Existem diversos formatos de imagem que os softwares de imagem conseguem trabalhar. É preciso ter noção da finalidade da imagem para melhor especificar o formato de exportação.

Basicamente podemos dividir os formatos em quatro tipos:

  • Formatos editáveis
    formatos em que são mantidas as capacidades de edição e camadas, mas dependem do software para serem abertas. O  tamanho do arquivo em disco tende a ficar muito grande, pois todas as informações necessárias encontram-se embutidas no arquivo. Recomendável para uso durante o trabalho, mas não recomendável como formato de saída (impressa ou tela).

    • Formatos bitmap
      • GIMP: (XCF, PSD)
      • Photoshop: (PSD, Photoshop PDF):
    • Formatos vetoriais
      • Inkscape: (SVG, AI, EPS)
      • Illustrator: (AI, Illustrator PDF, EPS)
  • Formatos vetoriais não editáveis
    (EPS, PDF, SVG): alguns desses formatos apresentam as mesmas extensões que os formatos editáveis, todavia sofrem um processo de simplificação e, com isso perdem algumas características, como o texto editável ou as camadas. Ainda assim é possível manipular a imagem sendo a principal diferença as perdas das características de edição do formato original.
  • Formatos bitmaps sem compressão
    (BMP, TIFF): formatos em que há perda na capacidade edição, mas não há perda na qualidade da imagem, pois não utiliza algoritmo de compressão (ou é opcional). O  tamanho do arquivo em disco tende a ficar grande. Recomendável para saída impressa, não recomendável para saída em tela (internet, e-mail,  projeção, etc).
  • Formatos bitmaps com compressão
    (GIF, JPEG, PNG): formatos em que há perda na capacidade de edição e também há perda na qualidade da imagem, pois há um algoritmo de compressão da imagem. O  tamanho do arquivo em disco tende a ficar pequeno (consideravelmente menor que sem compressão).

A seguir vemos diferentes formatos de imagens gerados a partir  da mesma imagem.

Clique aqui para fazer download do arquivo zipado com a imagem no formato TIFF.

Continue reading